Coaching alavancando sua carreira

Coach Papo de Job

Quem está no mercado de trabalho muitas vezes se pega pensando em como crescer, alavancar sua carreira, ter uma melhor posição profissional e, consequentemente, ter mais lucros com isso, não é mesmo?! E nessas horas surgem dúvidas sobre o que fazer para potencializar os resultados. Passar por um processo de coaching pode te ajudar neste momento de dúvida e necessidade de crescimento.

E para saber como um coach ajuda no desenvolvimento profissional, quem fala com a gente é Daniela do Lago. Daniela é Coach de Carreira, escritora e professora dos cursos de MBA da Fundação Getúlio Vargas nas disciplinas de Gestão de Pessoas, Comportamento Organizacional, Comunicação e Relacionamento Interpessoal. E este mês ela lança o livro “UP! 50 dicas para decolar sua carreira”.

Vamos descobrir tudo o que o coaching pode fazer por nossa carreira?


Ah, mas não esquece de curtir o Facebook, Instagram e fazer sua inscrição no Canal do Papo no Youtube pra ver tudo que rola no Papo de Job na TV! Ok?!?


Coaching e a sua carreira

Daniela do Lago coaching

Daniela do Lago

Papo: O que é coaching?
Daniela:
Coach é o profissional que exerce o procedimento e coaching é o desenvolvimento de uma competência comportamental. A atividade ajuda o cliente a alcançar os seus objetivos. Existem coachs para diversas áreas como relacionamentos, saúde, entre outros.

Na minha área de atuação, como coach de carreira, eu lido com o aspecto comportamental no ambiente de trabalho. A finalidade do processo é que o cliente consiga os melhores resultados e alcance as suas metas profissionais. Ou seja, visa destravar alguns comportamentos que dificultam o alcance de suas metas. É o papel do coach saber identificar como o cliente pensa e utilizar as ferramentas certas.

É um trabalho de muita responsabilidade. Por isso, é necessário que tenha uma formação. No Brasil, para conseguir se formar na área, precisa ter nível universitário e fazer o curso que dura no mínimo um ano. Houve um período de ‘boom’ de lugares prometendo a especialização em três dias de curso. Isso não existe. Não tem como se tornar um coach em poucos dias. Durante o processo de formação, o coach terá várias ferramentas para aprender a lidar e identificar quais são as mais indicadas para aplicar em seus futuros clientes.

Uma analogia para melhor explicar: é como se fosse em uma academia. Quando você quer alcançar uma meta nova e contrata um personal training, ele vai indicar quais são os exercícios e quais músculos você precisa desenvolver. Se não for realizado a cada semana, os músculos não serão desenvolvidos e não adiantará contratar o melhor profissional. É a mesma coisa nos processos de coaching.

Papo: Por que ele está conquistando cada vez mais profissionais?
Daniela: O processo é bem antigo. Nos Estados Unidos, por exemplo, em cada empresa quase metade dos profissionais passa por processo de coaching. No Brasil não chega nem a 0,5%. Por isso é um grande potencial aqui. A atividade está conquistando o país, porque o profissional detém uma série de ferramentas que ajudam a destravar o que o cliente precisa para alcançar as suas metas.

Papo: Como coching pode ajudar na carreira?
Daniela: As três primeiras reuniões são investigativas. O coachee (cliente) sempre chega com uma meta, exemplo: ser diretor ou presidente da empresa, seja qual for o seu desejo. Através de uma série de ferramentas podemos identificar quais são os valores do profissional, o que de fato importa para ele. É muito comum o cliente chegar com um discurso e valorizar aspectos que não tem ligação com suas metas, porém, ele não se dá conta disso. Assim, o processo pode ajudar a não cair em armadilhas profissionais, como aceitar um cargo ou promoção que não está de acordo com o perfil dele.

Papo: É indicado para todos os perfis profissionais?
Daniela: Não. Nem todos precisam. Quando é necessário? Quando está no momento do “será que” pode ser que o processo seja para a pessoa. No momento em que o profissional começa a se questionar “será que é para continuar aqui?”, “será que é para mudar de empresa, ou abrir meu próprio negócio?”.
Cada cargo e momento de carreira têm o seu dilema, seja ele júnior ou sênior. Mesmo quando existem essas dúvidas, o coach vai apresentar um questionário para identificar se de fato é preciso realizar o processo.

Papo: Quanto tempo leva o processo?
Daniela: O processo é individual e não é padronizado. São realizados de 10 a 12 encontros. Geralmente, marco 12 reuniões. Mais tempo do que isso não é necessário e menos não ajuda a ter resultados satisfatórios.
É importante ter a regularidade de tempo entre esses encontros. No máximo 15 dias de intervalo entre um e outro, com duração de 1h ou 1h30 cada reunião, pode ser presencial ou até mesmo por Skype. A partir desses encontros é possível medir os resultados.

Papo: Uma empresa também pode investir em coaching? Que resultados ela pode esperar desse investimento?
Daniela: Sim. Uma empresa pode e deve investir em seus profissionais. Quando ela investe em um processo de coaching para um funcionário? Quando a empresa quer investir em uma promoção para ele. O objetivo nunca é corrigir ninguém, mas potencializar. Por exemplo, quando quer promover o profissional, para exercer um cargo de liderança, ser um diretor ou presidente, o processo de coaching ajuda muito. A empresa ganha porque terá um profissional mais consciente de suas próprias metas e de seus talentos, para potencializar sua atuação. O profissional também ganha porque é um processo de autoconhecimento para ele.

Eu adorei saber mais sobre coaching. E você, gostou também? Então compartilhe com seus amigos! 🙂

Você pode gostar...


Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (0) in /whm2/papodejob/public_html/wp-includes/functions.php on line 3721