Conheça 12 doenças que matam as empresas

Hoje o Papo tem participação especial! Ricardo Martins, que hora ou outra aparece por aqui, com textos que nos fazem pensar, ou repensar, nossa postura profissional e a empresa na qual trabalhamos.

Ricardo fala hoje sobre as doenças que atingem as organizações e o quanto essas doenças atrapalham o desenvolvimento de empresa e profissionais. Aliás, essas doenças contagiam até mesmo as novas contratações, que com pouco tempo de convivência, se veem presas às mesmas rotinas que comprometeram o desenvolvimento no passado.

Vamos pensar? (Ah, se quiser ler o original, é só clicar aqui).


E claro, fica aqui o convite para você fazer sua inscrição no Canal do Papo no Youtube e acompanhar o Papo de Job na TV. Dá uma passada também no Facebook e Instagram, tem muita coisa boa por lá!


Conheça 12 doenças que matam as empresas

Desde que existe o ser humano, existem as doenças. Elas nos lembram que somos frágeis e que temos limitações. Não podemos fazer o que quisermos, sob o risco de adoecer e até morrer. Com as empresas acontece algo parecido. Elas também adoecem e morrem. Mas assim como no caso dos seres humanos, em muitos casos é possível identificar uma doença a tempo e tomar providências para curar a empresa. A seguir eu cito os principais tipos de doenças que acometem as empresas. Esse artigo é baseado no texto do Carlos Souza, chamado “Deterioração Organizacional: Alguns Exemplos de Disfunções”.

Principais doenças
Dentre as principais enfermidades que afetam as empresas, podemos citar:

– Falta de objetivo claro
– Funcionários não conhecem os objetivos
– Objetivos da empresa não combinam com os objetivos do funcionários
– Os funcionários não sabem quem faz o quê
– Quem decide está longe das informações necessárias para decidir
– Muito cacique pra pouco índio
– Maioria dos funcionários mais preocupados em controlar os outros empregados
– Pessoas falam uma coisa e praticam outra
– Planejamento não serve para nada
– Planejamento não gera resultado pois o ambiente externo foi ignorado
– Empresas esquecem seus erros e não tiram lições deles
– Funcionários não resolvem problemas emocionais e pessoais
– Essas doenças geram todo tipo de efeito negativo nos resultados. E, você provavelmente irá se lembrar de já ter trabalhado em algum lugar onde isso acontecia, ou conhece alguém que trabalha.

A culpa é do cozinheiro ou da receita?
Mas que lição podemos aprender sobre a existência dessas doenças? Muitos empresários pensam que a causa dos problemas das empresas está no próprio ser humano, que seus funcionários não gostam de trabalhar, que evitam responsabilidades, que precisam ser forçados a fazer as coisas, que necessitam ser controlados e punidos para que surjam resultados. No entanto, o que pode ser considerado a causa dos problemas na verdade pode ser apenas o efeito gerado pelo jeito como a empresa funciona, como ela paga seus funcionários e como agem seus líderes.

É raro encontrar um empresário que tenha consciência que a culpa pelos problemas da empresa pode estar nele próprio. O sistema de funcionamento da empresa pode ser a causa dos problemas, e não importa qual funcionário você contrate, se você colocá-lo para seguir aquela receita, o bolo não vai prestar. Pense que os funcionários precisam fazer um bolo e seguem a receita que foi criada pela empresa. Se a receita tiver um problema, você pode trocar de funcionário 1000 vezes, e o bolo vai continuar queimado. E você vai continuar pensando que a culpa é do funcionário, quando na verdade é culpa de quem inventou a receita. A receita na verdade se chama “processo”, e isso explica porque empresas bem sucedidas não tem necessariamente os funcionários mais caros ou mais habilidosos e sim, os funcionários que seguem processos bem feitos, que geram resultados desejáveis.

Toda empresa funciona ao redor de processos:
– Processo de abrir as portas da loja,
– Processo de atender os clientes,
– Processo de fazer a comida,
– Processo de entregar o produto,
– Processo de responder dúvidas dos clientes,
– Processo de receber o pagamento,
– Processo de fechar o caixa,
– Processo de proteger os clientes,
– Processo de encerrar os trabalhos do dia
Agora faça a pergunta: quem criou os processos da empresa onde VOCÊ trabalha? Alguém PENSOU sobre a melhor forma de fazer esses processos? Ou eles foram criados por acidente ou “a gente foi tentando, errando e ficou desse jeito”?

ideaConclusão
Portanto, antes de sair culpando os funcionários pelos problemas da sua organização, veja como funcionam seus processos. É comum os empresários abrirem as empresas sem terem pensado nos processos, e daí, quando seus funcionários cometem erros seguindo um processo criado sem cuidado, colocam a culpa no empregado ao invés de culpar quem instituiu o jeito da empresa trabalhar. Esse ponto de vista, de sempre por a culpa nos outros, gera todo tipo de doença, que se não for tratada pode levar à morte do negócio.

Você pode gostar...