As mulheres e a Comunicação – Preparando o futuro

As mulheres e a Comunicação

Essa semana é muito especial pro Papo de Job, primeiro porque é a semana de comemoração ao Dia Internacional da Mulher e, como vocês sabem, o blog é fruto do trabalho de uma mulher. Segundo porque o Papo faz aniversário… mas disso a gente fala amanhã, tah?!

Hoje vamos falar das mulheres… a gente merece muita comemoração, não é? A gente consegue falar ao telefone, abrir um PIT, escolher a roupa que vai usar mais tarde e reparar na cor do esmalte da colega que senta ao lado… tudo ao mesmo tempo. Homens nunca vão saber o que é isso.

E se uma mulher, em qualquer ramo profissional, já dá um show, imagina quando ela trabalha com Comunicação. Aí o sucesso é mais que garantido! Afinal, Comunicação é um talento que todas nós temos de sobra. Então, pra deixar a semana charmosa, hoje estreamos a série As Mulheres e a Comunicação, que ao longo desta semana trará mulheres que, assim como eu, dedicam sua vida à Comunicação.

Quero hoje, através da Cristina, da Andreia e da Angela, homenagear todas as mulheres que preparam os novos profissionais do mercado, todas as professoras de Comunicação.


Aproveito para te pedir pra se inscrever no Canal do Youtube e acompanhar o Papo no FacebookInstagram, Linkedin.


As Mulheres e a Comunicação

Angela Werdemberg – Unaes

Angela Werdemberg

Angela é jornalista e professora do Curso de Publicidade da Unaes. Sonhava em fazer Direito, mas ao primeiro contato com a Comunicação se apaixonou e mudou os planos “ao final do Ensino Médio, a escola propôs que fizéssemos um vídeo de combate às drogas. Este foi meu primeiro contato com vídeo, fotografia, roteiro e edição.
Hoje não me vejo fazendo outra coisa. Minha vida está ligada à Comunicação. Minha escolha profissional foi puramente emocional. Amo o que faço, simples assim”.

Papo: Como é preparar os futuros profissionais da Comunicação?
Angela: Ser professora é uma linda troca de conhecimento. Ensino, compartilho minhas experiências e conheço muitas realidades. Os alunos nos ensinam muito, principalmente à época em que estamos, de convergência das mídias. Os alunos não são passivos e as aulas não são mais expositivas. Há discussões com embasamento e opiniões interessantes.

 

As Mulheres e a Comunicação

Andreia Chiara – Uniderp

Andreia Chiara

Andreia é publicitária e sempre foi apaixonada por Comunicação “sempre gostei de falar em público, defender ideias. O que gosto na nossa profissão é a obervação do comportamento das pessoas, a constante possibilidade de aprender. Estar sempre aprendendo tendências de novas áreas e como contribuir com a distribuição destas informações”.

Papo: Como é preparar os futuros profissionais da Comunicação?
Andreia: Preparar os futuros profissionais é uma honra e, ao mesmo tempo, uma grande responsabilidade. O que sempre digo aos meus alunos é que é imprescindível a busca constante pela atualização e autoconhecimento. O profissional, independente da área, que conhece suas habilidades, pontos fortes e competências consegue maximizar suas potencialidades.

 

As Mulheres e a Comunicação

Cristina Ramos – Professora do Curso de Jornalismo da UCDB

Cristina Ramos

Cristina é jornalista e professora na UCDB, “acredito que os doze anos em que estou em sala de aula também podem ser contabilizados em minha formação, aprendi muito sobre a Comunicação com a docência”.
Ela escolheu Comunicação aos cinco anos, quando aprendeu a ler e percebeu o poder das palavras, “quando chegou a hora de decidir pelo futuro profissional eu já entendia que as aptidões comunicativas que possuía se somavam a outras características da minha personalidade, como a vontade de ajudar as pessoas, compartilhar histórias, ser uma agente para o desenvolvimento social”.

Papo: Como é preparar os futuros profissionais de Comunicação?
Cristina: É uma responsa! Afinal eu sei o valor que jornalistas e publicitários competentes em sua técnica, humanos, críticos e éticos têm para a nossa sociedade atual, onde todo mundo acha que é um comunicador. Receber estudantes tão novinhos, com seus 17 anos, ajudá-los a formatar seus talentos sem deixá-los perder a criatividade inata da sua idade, a energia e vontade com que eles perseguem seu futuro profissional, exige muita responsabilidade. Ao mesmo tempo acompanhar essa formação de quatro anos e fazer parte da transformação e amadurecimento profissional e pessoal desses alunos é muito prazeroso. Por fim, encontrar nas redações, agências e outros veículos de comunicação, esses jornalistas e publicitários, meus ex-alunitchos, dá orgulho e me gratifica como professora universitária.

Mulheres e Comunicação. Tantas estrelas, tantas personalidades, tantos talentos. Essa semana você acompanha um pouquinho das belas comunicólogas sul-matogrossenses. Não perca amanhã… 😉

Você pode gostar...