ESPECIAL: Publicitário em MS, quem te representa?

Publicitário em MS, quem te representa?

Desta vez o Papo traz um assunto que se mostrou desafiador: entender o nível de união da classe publicitária.
E isso partiu de uma questão única:

Publicitário em MS, quem te representa?

A resposta vai além da questão legal. Foi preciso bastante pesquisa e ouvir muitos profissionais, afinal era preciso recuperar alguns pontos históricos que não vivenciei, já que estou no MS há apenas dois anos.
Muita gente falou, mas alguns fizeram questão que seus nomes nem fossem citados, porém suas opiniões sim.
Foi a primeiro sintoma de algo não vai bem.
Uma conclusão é certa: a classe é extremamente desunida, e os efeitos disso são sentidos por todo lado, desde a qualidade da publicidade produzida, remunerações, relações trabalhistas e até mesmo no nível das premiações do mercado.
Acompanhe o tema, e prepare o debate no seu ambiente profissional.
É um primeiro exercício de união.

SINAPRO MS

Publicitário em MS - Sinapro MSO Sindicato das Agências, é preciso que se deixe claro, é patronal. Ele representa as Agências, através de seus proprietários. Muitos profissionais, equivocadamente, reclamam da entidade não ter uma postura de maior defesa dos profissionais, mas é importante entender sua missão, seu foco. Mas é óbvio que pode se esperar mais. É natural. É essencial.
O Sindicato, que já foi considerado um dos mais atuantes do Brasil, e que levantou importantes bandeiras como da publicidade regional é considerado apático por muitos dos profissionais ouvidos. À entidade são atribuídos o distanciamento do meio acadêmico e seus eventos, além de, para muitos, ter foco exclusivo em licitações públicas. Em palestras nas universidades sempre ouço que o site do Sindicato, desatualizado, dificulta o contato dos acadêmicos com as agências, visto que existem vários dados destas empresas com erros.
Paralelo a isso, alguns proprietários de agências admitem que a razão da sindicalização é tão somente a exigência para participação em licitações, mas existem outros caminhos para driblar isso, através de outras entidades, como a Abap. Inclusive a própria Constituição brasileira estabelece que nenhuma sindicalização é obrigatória no país.
É com o Sinapro MS que são negociados (em nome dos publicitários de MS) os dissídios anuais da categoria, ou seja, os aumentos e benefícios que a categoria tem.

Vitor Peluchno

Vitor Peluchno

Vitor Peluchno, publicitário que começou sua carreira no Paraná, lembra que “lá a entidade também é patronal, mas recebe e auxilia os profissionais, buscando sempre uma relação sadia entre trabalhadores e patrões, afinal uns não existem sem os outros.  Aquele sindicato valoriza a propaganda local, como prova, resgatou a história de 148 anos de propaganda no Estado e colocou em um livro muito legal e divertido de ler; em seu site a maioria esmagadora do conteúdo é regional.”
E lamenta “aqui, a única coisa que os profissionais ficam sabendo após as reuniões é que alguns donos de agências tentam criar teto salarial para a categoria. Mas, graças a Deus, existem aqueles que não caem nessa, pois recusam-se a nivelar o trabalho de suas empresas por baixo e sabem que para se ter mão de obra melhor e mais qualificada o valor também é diferenciado. Curiosamente, estes são os donos das agências que têm as melhores contas, os maiores faturamentos, menos rotatividade de funcionários, que ganham mais prêmios e que menos reclamam de crise financeira.”
E mais uma constatação: “pelo bem, pelo mal, os chefes têm um sindicato. Mesmo sendo concorrentes, conseguem se organizar e defender seus interesses. Pior são os profissionais, que não conseguem juntar dois times para jogar futebol e, de quebra, são representados pelo sindicato dos radialistas”.

Tem razão o Vitor e tantos outros, não identificados, que compartilham da mesma opinião.

SINTERCOM MS

Publicitário em MS - Sintercom MSO Sintercom MS legalmente é o Sindicato que representa os publicitários, bem como os trabalhadores em radiodifusão, televisão e similares.
À esta entidade cabe defender os interesses da classe e negociar com o Sinapro MS anualmente, como aconteceu no último mês de maio, quando ficou definido, dentre outras coisas reajuste de 7,5% para a categoria, e o piso salarial de R$ 880,00 para os publicitários.
É em benefício desta entidade que os profissionais recolhem 1,5% da sua remuneração mensal, como contribuição associativa, nas empresas com mais de 3 funcionários. Cabe esclarecer que essa contribuição é optativa. Basta o profissional declarar por escrito o desejo em contrário (e protocolar), que ela deixa de ser cobrada.
Vale a pena conhecer tudo que envolve a convenção coletiva de trabalho da classe. As empresas devem fixar essas informações em um mural, para ciência de todos.
Somente conhecendo o nível de nossa representação, através desta entidade, é que a classe pode efetivamente fazer a avaliação da real defesa dos interesses de todos nós.
Cabe aí uma boa reflexão.

APP MS

Eddie Guttemberg

Eddie Guttemberg

A Associação dos Profissionais de Propaganda já teve um capítulo no Estado. Iniciou em abril de 1999, encabeçada por Eddie Guttemberg, Wanderley Bernardo e Vera Lacerda, ela nasceu para estimular o mercado através de treinamentos, cursos e eventos voltados para os publicitários.
Eddie Guttemberg, que foi Presidente, lembra que “como a Associação dependia da participação dos profissionais através de mensalidades, e também do apoio dos veículos, o que não ocorreu, ficaram apenas algumas pessoas que assumiram entre outras coisas as responsabilidades e custos da Associação. Isso foi seu fim.”

Correio do Estado - Abril 1999

Correio do Estado – Abril 1999

Hoje presente em poucas cidades, a entidade que tinha um ideal fantástico de união da classe, naufragou na desunião dos publicitários.
Pior pra todos.

Ele complementa, sem perder a crença, que “é preciso unir a classe, criando o compromisso e comprometimento dos publicitários para que possa então haver ações no mercado que estimulem o crescimento profissional de todos”.

 

GRUPO DE MÍDIA MS

Publicitário em MS - Grupo de Mídia MSA turma que mais ganha presentes nas agências também já mostrou ser boa de articulação.
O Grupo de Mídia tinha uma frequente agenda de reuniões, se uniam “além agências”, discutiam os assuntos da classe toda, se envolviam na produção de eventos, possuíam um blog que era, inclusive referência para vagas de emprego no mercado. Eles buscavam ter uma classe de profissionais mais sólida, oferecendo cursos profissionalizantes, interagir com as novas ideias e mídias do mercado e fortalecer o relacionamento mídia x veículo x agência.
Alguns nomes super conhecidos do mercado estavam à frente do projeto: Val Reis, Fabiana Ferreira, Dora Ramos, Dilma Barbosa, Fátima Medeiros e Thiago Penna.
Um dos projetos do Papo de Job é exatamente cumprir com essa lacuna que ficou. Dia desses recebemos inclusive uma mensagem que dizia “porque vocês não publicam vagas, como o Grupo de Mídia fazia?”.
Os interesses foram se diferenciando e Grupo de Mídia fechou!
Boas lembranças ficaram, mas o mercado mais uma vez perdeu.

Fabiana Ferreira

Fabiana Ferreira

Perguntada sobre o que falta hoje para união da classe, Fabiana Ferreira é tempestiva em dizer que “a classe acaba por se encontrar somente em reuniões e prêmios, quando se fala de cursos, trabalhos extras em horários alternados, fica difícil por que cada um tem seus compromissos, muitos estudam, são donas de casa nos horários livres, cuidam de filhos, entre outras coisas e assim acaba ‘não sendo algo relevante’. Falta engajamento.”
O Papo entende as particularidades de cada um, mas acredita que somente se colocarmos a união da classe com algo fundamental é que se poderá construir um futuro pessoal e profissional.

O Grupo de Mídia MS nos deixou um legado e uma missão. É preciso restaurar a união.

CLUBE DE CRIAÇÃO

CCSPReferência de qualidade criativa, o Clube de Criação de SP completou 40 anos e é reconhecido pela sua força, visibilidade e relevância.
Outros estados como Rio de Janeiro, Bahia, Paraná, Minas Gerais, Pernambuco, Goias e Mato Grosso também tem o seu.
Alguns ensaios já foram feitos para montar o CCMS, mas nada de concreto aconteceu.
Já passou da hora da galera criativa se unir em torno de um mercado mais inovador, onde a qualidade realmente seja um ponto importante para diferenciação.
E fazer esse assunto ir além dos happy hours e das reclamações.

É preciso realizar. E o Papo de Job apoia qualquer iniciativa neste sentido.

SINDICATO DOS PUBLICITÁRIOS

Publicitário em MS - Grupo Sindicato dos Publicitários de MS

Grupo Sindicato dos Publicitários de MS

Em março de 2013 um grupo de publicitários assumiu um grande desafio: abrir um sindicato que lutasse exclusivamente pelos interesses da classe, visto que o Sintercom MS tem foco também em outros profissionais, enquanto vários dos interesses destes não eram discutidos ou faziam parte da pauta do atual sindicato.
Rodrigo Gomes e Marcel Ebner foram os principais idealizadores do Sindicato, e a eles se uniram Val Reis, Vitor Pelluchio e Sara Azevedo, que conseguiu inclusive apoio jurídico com o NPJ da Estácio para os trâmites de abertura e também um espaço sem custo dentro da instituição para começar o projeto. Tudo para viabilizar.
Algumas reuniões se realizaram para levar o Sindicato adiante e convidaram alguns profissionais do mercado que expuseram suas dificuldades e então se reuniram com o Sintercom MS. O presidente se posicionou, esclareceu as dúvidas dos presentes e foi elaborada uma ata que registrou que o Grupo acompanharia, a partir daí, o desenrolar das negociações do Sintercom MS com o Sinapro MS.

Publicitário em MS - Sara Azevedo - Estácio

Sara Azevedo

O movimento então esfriou, e hoje se resume a poucos publicitários em um grupo fechado no Facebook.

Sara Azevedo, sem esquecer ou desistir do projeto, fala que tudo depende de união. “É preciso sairmos da zona de conforto e realmente buscarmos nossos interesses, temos profissionais suficientes no Estado para termos um sindicato forte, exclusivo e dedicado às peculiaridades da profissão” enfatiza.


Nossa categoria é tão competente para construir sucesso de marcas e empresas.
Competente para elaborar estratégias ousadas.
Mas tem se mostrado incapaz de união real em torno da sobrevivência ou evolução da atividade.
É certo que o modelo tradicional de negócio das agências está morrendo. Talvez resistam um pouco mais as agências com as maiores verbas públicas. Talvez.
Mas estão em mudança profunda as relações entre agências e anunciantes e os tipos de relações trabalhistas. Bem como as remunerações.
Tudo está mudando.
E rápido.
Uma boa hora para nossa classe aproveitar e mudar também. É hora do publicitário em MS conquistar seu espaço.
Começando por se unir de verdade em torno de seus interesses e de um futuro melhor, justo e equilibrado.
Enfim, um futuro.

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. 29 de julho de 2015

    […] já pautamos aqui no Papo a importância para todos da união da classe. E falamos sobre um grupo que iniciou a […]