Faltou recur$os para o Recursos Humanos

E quando o anunciante não paga? Você tem sofrido com essas histórias, né? A Série Propaganda é Negócio está causando burburinho por aí… Tem gente que se vê na situação, gente que já passou por coisa parecida e gente que está vivendo hoje o drama de não receber por um trabalho já feito.

E sabe do que mais? Não é só o mercado publicitário que sofre com isso, a história de hoje é de uma leitora que trabalha numa empresa de consultoria de RH.

Ah, e se você quer compartilhar sua história conosco, mande um e-mail para Propaganda é Negócio, em contato@papodejob.com.br. Lembrando que não precisa identificar o cliente, nem a agência. A ideia é só manter o mercado alerta.


Ah, aquele convitinho pra você fazer a inscrição no Canal do Youtube continua de pé… o Papo de Job na TV está no ar na web e na TV! E as outras redes também te esperam, curte o Papo lá no FacebookInstagram, Linkedin.  😉


Vamos ver o que temos hoje?

Sou leitora frequente do Papo de Job e essa série de matérias sobre calotes está muito interessante.

Trabalho com consultoria em RH e ouso pedir um espaço para contar uma situação que vivemos e que se assemelha muito a outras já narradas pelo blog.
Será que tem um espacinho pra gente ‘invadir’ com nossa história?
 
Atendíamos um grupo de empresas, cujos dirigentes tinham um objetivo bastante empreendedor, e por isso nos envolvemos nele.
O propósito era crescer com ousadia e se tornarem uma referência.
Um desafio e tanto para nós, pois era a oportunidade de criar um grande case de sucesso no Estado.
Trabalhamos o grupo em vários de seus processos, desde o organograma até cada detalhe do perfil dos contratados, além de treinamentos constantes.
Propaganda é Negócio! Calote - Publicidade MSEm nossa atuação como Recursos Humanos não faltou dedicação em momento algum, e sempre superamos as expectativas, entregando bem mais que o solicitado.
Tínhamos projetado uma estrutura que faria esse grupo despontar para o sucesso.
Só faltou um detalhe: sinceridade.
Não haviam os recursos necessários e o primeiro impacto foi justamente na equipe, que começou a esfarelar-se e cair em qualificação.
A imagem positiva do grupo mudou rapidamente e começamos a perceber insegurança interna e em todo o mercado.
A gestão ficou enfraquecida e não demorou para sermos também uma parte afetada.
Dos serviços prestados há muito ainda a receber.
A atenção que demos nem de longe é correspondida na parte financeira.
Fica o aprendizado: quando um cliente apresentar grandes planos e projetos, e antes mesmo de nos jogarmos nele com todos os Recursos Humanos, devemos nos certificar se os cliente realmente tem os recur$os.
 
Propaganda é Negócio. Recursos Humanos também!
 Desejamos sucesso absoluto e contínuo a todos os empreendedores que tem a cabeça nas nuvens, mas os pés no chão.”

Você pode gostar...