Participação especial no Papo – Semana Design Rio

Semana Design

Eu sempre digo que quando a gente se propõe a desenvolver um projeto do bem, a vida trata de colocar pessoas com o mesmo objetivo no nosso caminho, pois é, a meta do Papo é melhorar o mercado e eu sempre cruzo com gente que também quer isso. O Papo de hoje é feito por um casal que você já viu por aqui, Natalia Azevedo e Rafa Mota, do Ricebean Studio.
Hoje eles vão compartilhar no Papo tudo que eles viveram e aprenderam na Semana Design Rio. Legal, né?! Entre matar a saudade do Rio (eles moravam lá), dos amigos, participar de palestras e visitar exposições, eles separaram um tempinho para escrever tudo isso com carinho para os leitores do blog. Tem coisa mais bonita?! Veja agora todo o conteúdo e fotos que eles fizeram pra você.

Semana Design Rio

Natalia e Rafa – Semana Design Rio 2015

1º dia
Nós, que estávamos lá na primeira edição, e perdemos a segunda, estávamos famintos por viver essa experiência outra vez. Ao entrar no espaço do evento, demos de cara com um salão repleto de gente e que abrigava a exposição Rio+Design e o Mercado Design Rio com stands de dez designers/marcas com produtos à venda. Do outro lado do salão havia uma área aberta repleta de foodtrucks estacionados ao redor do gramado e neste dia nada de palestras, era ocasião para encontrar amigos, beber cerveja e comer algo delicioso.

2º dia
Opção era o que não faltava na programação. Começamos assistindo a duas palestras do Ricardo Leite. Uma sobre o funcionamento da Crama, cases, metodologias, etc., e outra sobre a criação da marca comemorativa dos 450 anos do Rio. 
Em seguida foram mais 4 palestras:
O Design e Seu Poder Transformador, por Ricardo Leite (Crama) e Leo Eyer (Bold). Eles contaram um pouco sobre a experiência de realizar a 11ª Bienal de Design Gráfico, contaram sobre o processo de seleção dos projetos e destacaram seus favoritos. Um dos projetos favoritos era o Momo Gelato. (Natalia: Projeto da M. Quatro do qual tive a felicidade de desenvolver com toda equipe).
IoT, Automação e os Desafios Para o Design de Interação, com Daniel Chaves, gerente do núcleo de Experiência do Usuário do Centro de Tecnologia Open Source da Intel no Brasil e sócio-fundador da ReDe 82. Ele falou sobre pesquisa de mercado e tecnologias para o desenvolvimento de novos produtos.
O Desafio Darwiniano das Marcas, da Ana Couto, as marcas que não se adaptarem à nova forma de pensar dos consumidores, vão morrer para o mercado. Ela mostrou exemplos de marcas do futuro: o Uber, pelo seu modelo inovador e Starbucks, por ter seu CEO apoiando publicamente o casamento gay. Hoje as marcas são vistas como pessoas, elas têm personalidade.
Tecnologia e Experiência do Usuário, por Thiago Esquivel, diretor de criação 2D e UI sênior e UX / UI designer na Mormedi. Ele falou sobre metodologias para atender clientes como a Ibéria Linhas Aéreas, recriando toda a experiência do usuário, desde o momento em que ele entra no aeroporto até a saída.

3º dia
2015-11-06 18.11.27_EllenKissA apresentação da Ellen Kiss, superintendente de inovação em investimentos e mercados de capitais no Itaú Unibanco, Inovação nas Grandes Organizações: pensando dentro da caixa, mostrou como é o processo de inovação dentro uma grande empresa já formatada e os desafios para quebrar paradigmas.
Em seguida, a apresentação mais disputada da programação, Design Essencial, por Marcelo Rosenbaum. Ele falou algo que nos emocionou e tornou sua palestra a mais impactante da Semana Design Rio, seu projeto A Gente Transforma, que começou na comunidade do Parque Santo Antônio (SP), transformando vidas através da pintura das casas, elevando a autoestima da comunidade e colocando o poder de transformação nas mãos dos moradores. 
No início da palestra, Rosembaum apontou dois argumentos que fazem algumas marcas de luxo venderem seus produtos por um valor alto: o trabalho de construção da marca, evidentemente, e a produção feita a mão, seguindo uma tradição. Ele se perguntou o por que do artesanato brasileiro não ser visto da mesma forma? E contou como o A Gente Transforma está contribuindo para o desenvolvimento do povoado de Várzea Queimada, no Sertão do Piauí, que hoje tem seu artesanato em importantes eventos de design pelo mundo. 
E a última palestra da noite, Como Desenhar o Valor de “Jogar e Brincar”, com a holandesa Ellis Bartholomeus, que mostrou como os games podem ser usados como meio de transmitir ideias.

4º dia
Semana Design RioFomos para a palestra Luz e Forma com Fernando Prado, designer de produto que contou um pouco da sua história e dos seus produtos.
Em seguida, a apresentação do designer Zanini de Zanine, nomeado designer do Ano pela Maison & Objet Americas 2015, falando sobre seus percursos e experiências. Destaque para a resposta dele quando alguém perguntou o que ele achava sobre a não regulamentação da profissão de designer: “Eu sou formado e aprendi muita coisa durante a minha formação, ela é importante, mas não é tudo. Meu pai não era formado, mas aprendeu exercendo ao lado de profissionais incríveis. Quem vai falar que meu pai não era arquiteto? Eu acredito na força de vontade, na determinação e no interesse em fazer um trabalho bem feito.” O tema é complexo e a resposta levanta muitas reflexões.
Pra fechar a noite, a palestra We Are Professional Beauty Makers, com Tucker Viemeister, chefe do Laboratório Rockwell Group em Nova York, seu foco era mostrar o quanto a beleza pode ser funcional.

5º dia e último dia
Semana Design Rio - Publicidade MSFomos à exposição do Castelo Rá-Tim-Bum. Com cenários recriando os cômodos do castelo, detalhes dos personagens… nos sentimos crianças. Em seguida visitamos duas exposições fantásticas: A primeira do Elifas Andreato, que tem em seu portfólio inúmeras capas de discos para grandes músicos da MPB e também desenvolveu artes marcantes para a luta contra o regime militar. Em seguida, a Expo Vértice. Coleção de Sérgio Carvalho, que reúne trabalhos de artistas brasileiros contemporâneos.

Voltando à Semana Design Rio, começamos com a apresentação Marcas Que Atravessam o Tempo: Um Estudo de Caso Granado e Phebo, realizada pela Nazish Munchenbach, que contou a experiência de transformar marcas brasileiras tradicionais em artigos que ganham destaque no mercado de luxo lá fora. 
Na sequência, a palestra do arquiteto e urbanista Leonardo Lattavo, que apresentou o processo criativo da Lattoog Design. Processo esse que ficou conhecido como antropofagia carioca.
Fomos à exposição Underground Images da School of Visual Arts de Nova York, que conta com cartazes de 29 grandes artistas visuais, entre eles: Paula Scher, Milton Glaser e Stefan Sagmeister.
De volta, palestra da Roberta Portas, Design em Parceria: A Educação Como Agente Transformador, sobre os projetos que vêm sendo realizados com alunos da PUC-RJ e como eles são capazes de transformar vidas com soluções simples. Depois palestra do Gustavo Chelle, sócio da Chelles & Hayashi Design, contou como foi a experiência de desenvolver a tocha olímpica para as Olimpíadas de 2016.
Por último o italiano Giovanni Cutolo, presidente de FWD-Food Wine and Design, falando sobre o que o Brasil pode aprender com a história do boom do design italiano. 

Uau! Quanta coisa né? Foi exaustivo e ao mesmo tempo revigorante. Recomendamos a experiência a todos que se interessam por inovações. Vimos muitas pessoas de áreas diversas, de empresários a clientes, todos em busca de novidades e aprendizado com profissionais que viraram referência nacional e internacional. É indispensável vivências como esta para refrescar a cuca, nos deixar inquietos, nos tirar da nossa zona de conforto e da nossa bolha do cotidiano. Um dia de bate-papo naquele ambiente já nos deixou borbulhando de ideias.

Você pode gostar...