Pedofilia: publicitário cria premiada estratégia de combate.

Brunno Barbosa - Movimento Bandeiras Brancas
Brunno Barbosa - Movimento Bandeiras Brancas

Anúncio falso pedofiliaO ANÚNCIO

“Garota de 12 anos turbina seios e posa nua para bancar viagem à Disney (veja fotos)”


A pedofilia está ainda mais em pauta ultimamente, e o Papo de Job traz sua colaboração contando um case incrível que começou com o falso anúncio acima, numa ação cheia de estratégias, criada pelo publicitário e jornalista Brunno Barbosa, de 27 anos, fundador da ONG Movimento Bandeiras Brancas.

Brunno, super receptivo e simpático, contou pra gente toda essa história, que também serve de exemplo para nós, profissionais de comunicação social, que não podemos nunca desassociar o social de nossa missão.

Papo: O que o levou a fundar a ONG Bandeiras Brancas?
Brunno: Sempre trabalhei com grandes clientes nacionais. Depois de um tempo, parei e pensei… por que não criar algo que possa ajudar muitas pessoas com ações de comunicação, sem que dependa de algum cliente para por na rua e fazer acontecer? O Bandeiras Brancas me dá autonomia para poder criar e ajudar no que a população precisa.

Papo: Como chegou ao tema pedofilia?
Brunno: Foi postado em algum grupo do Facebook e apareceu em minha timeline um vídeo de uma criança de 10 anos dançando alguma música completamente nua. Muitas pessoas estavam compartilhando e comentando (críticas e elogios), e com os algorítimos do Facebook, isso fez o vídeo crescer cada vez mais. Essa exposição pode causar um trauma muito grande na criança quando mais velha. Por isso digo, se vir algo parecido, denuncie! Não curta, comente ou compartilhe, por mais que esteja criticando a publicação.

Brunno Barbosa - Pedofilia

Brunno Barbosa – Idealizador da Campanha – Foto: Zaccur & Szuparits

Papo: Como foi a criação dessa campanha? Como foram definidas as estratégias para chegar ao público?
Brunno: Convidei o portal Sensacionalista.com.br para participar da campanha. Comecei a elaborar e estruturar o projeto, meu irmão me ajudou com a parte de programação e voltamos a falar com o Sensacionalista para colocar no ar.
Porém, como se trata de um portal de pegadinhas, sabíamos que muita gente iria clicar por curiosidade e não necessariamente por interesse em pedofilia. Independente de ser brincadeira, passávamos o recado para essas pessoas. Com grande acesso, a ideia era ranquear no Google, para tentar identificar pessoas que procurassem no buscador fotos de crianças nuas.

Papo: O que acontecia quando a pessoa clicava no link?
Brunno: A pessoa era obrigada a aceitar/responder via App de Facebook que era maior de 18 anos de idade. Com isso conseguíamos foto, nome e e-mail das pessoas, que eram estampados em uma cela com grades com o seguinte aviso: ‘Cuidado. Ser voyeur de crianças é crime. Não alimente essa indústria criminosa’.

Papo: O número de acessos foi bem alto. Te surpreendeu?
Brunno: Como o Sensacionalista tem uma boa base de leitores, imaginávamos que seria grande. Porém passou das expectativas. Até hoje as pessoas são levadas para a mensagem e já passam de 170 mil usuários.

Papo: Qual o perfil do público atingido pela falsa matéria?
Brunno: No primeiro momento diversas pessoas de todas idades e sexo. Na segunda fase, a grande maioria foram homens de 20 a 55 anos.

Papo: Vi que vocês entraram em contato com as pessoas indicando locais para tratamento da pedofilia, como elas reagiram a isso?
Brunno: Alguns falaram que foi algum amigo que entrou no computador deles e acessou, outros falaram de processo. Mas grande parte (por termos escolhido a dedo as pessoas) aceitou bem, e responderam. De cerca de 7 mil pessoas, 1.600 responderam de alguma forma. Um deles era até um menino de 17 anos.

Papo: E os resultados?
Brunno: Acredito que muitas pessoas de fato foram atrás de ajuda. Algumas pessoas nos deram feedbacks depois de terem ido se tratar. Foi positivo. E espero que esse resultado se materialize na casas das pessoas, evitando traumas para as crianças.

Papo: E os prêmios publicitários?
Bruno: Fomos selecionados como Honoree no Webby Awards, indicados no Prêmio Renato Castelo Branco, ganhamos troféus em festivais argentinos e outros americanos. Provavelmente esse ano após a divulgação em massa podem vir outros. O legal de levar esse tema a grandes festivais, pois lá estão criativos de todo mundo querendo fazer a diferença. Se todos pensarem um pouquinho no próximo podemos ser um mundo melhor.

O Papo sempre busca pessoas que usam o seu talento para fazer o bem. Brunno é um grande exemplo disso, que seja uma inspiração para todos nós.

O vídeo abaixo, em inglês, e com legendas em português, narra o case e os bastidores. Vale a pena conferir.

 

Outdoor campanha contra pedofilia

Memória: Outdoor de campanha da Central de Outdoor

Tudo bem, você não precisa nem ser um grande estrategista para entrar no combate a este crime hediondo. Basta não virar a cara para o assunto e denunciar casos de abusos contra crianças e adolescentes. Disque 100.

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. 22 de fevereiro de 2016

    […] falamos sobre a ONG, num Papo com Brunno Barbosa, seu fundador, que você pode conferir aqui. Mas a notícia que tenho hoje é nova e é muito emocionante: a campanha da ONG Bandeiras Brancas […]