Talentoso e Criativo! Tiago Corrêa, num Papo sobre Direitos Autorais

Tiago Correa

Falar sobre Direitos Autorais não é muito simples no mercado publicitário, temos muitas histórias sobre músicas, imagens e fotografias, usadas sem autorização, não é mesmo?! O Papo hoje vai tratar desse tema… mais especificamente dos direitos autorais na música, que no Brasil são regidos pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98).
Quem vai nos explicar tudo e dar dicas sobre como proceder, é Tiago Corrêa. Tiago é famoso por nos surpreender com um mashup mais inacreditável que o outro! As “misturas” criadas por ele são muito divertidas, me acompanham no carro e no trabalho sempre :-D. Pra curtir também é só acessar no Canal no Youtube.


Antes de curtir o Papo com Tiago Correa, anote os horários em que o Papo de Job na TV vai ao ar:
TV Imaculada 21 da NET, às segunda, 21:30 e na TVE, aos sábados, 9:30.
E a qualquer momento, no Canal do Papo no Youtube. Faça sua inscrição lá e acompanhe o Facebook e Instagram. Te espero pra mais Papo lá! 😆


Tiago Correa - Papo de JobPapo: Usar a trilha de uma música conhecida para fazer um jingle pode?
Tiago: Pode sim, mas deve-se pagar os direitos autorais. Se você for usar o fonograma original, ou seja, a música que a gravadora gravou (o som feito no estúdio), deve-se pagar por isso também. Se você regravar tudo e usar somente a composição você pode economizar com isso.

Papo: Qual a diferença entre Paródia e Plágio?
Tiago: Uma paródia é uma versão, uma brincadeira com uma música, normalmente uma piada e, segundo os direitos autorais no Brasil, pode ser feito sem pagar os direitos autorias – provavelmente quem escreveu essa lei era um político querendo usar a música de alguém, pois ela fere os direitos morais do autor. O plágio é quando você diz que é o autor de algo que não foi feito por você. Por isso, cover, remix e mashup não é plágio, pois você sabe quem é o verdadeiro autor.

Papo: O que pode e o que não pode ser feito no uso comercial de músicas pelos anunciantes e mercado publicitário?
Tiago: Tudo pode ser feito desde que acordado com os autores antes.

Tiago Correa - Papo de Job

Tiago Correa

Papo: Quando uma empresa pensa em usar em seu jingle ou campanha uma música famosa, ou mesmo sua trilha, ou então apenas a letra, a quem deve recorrer antes de usar?
Tiago: A minha dica é: vá direto nos autores. Tente não passar por gravadoras ou editoras, pois eles não estão vendo o interesse dos artistas e sim os próprios. Por exemplo: o artistas pode querer apenas a exposição de sua música, mas a editora não quer trabalhar de graça, logo o “não” é garantido (não porque seja ilegal, mas por preguiça mesmo). Mas é bem provável que os artistas mandem vocês entrarem em contato com as suas editoras e gravadoras. Não posso generalizar, falo apenas por experiência própria.
Mas aqui vai uma curiosidade: Se você for um ANUNCIANTE você deve conversar com a editora ou gravadora antes e eles podem querer lhe cobrar 1 milhão de dólares pois acreditam que você pode pagar. Mas se você for o VEÍCULO o pagamento é feito para o ECAD e o cálculo é feito sobre a audiência (muito mais barato). Vale muito mais apena pedir pro Luciano Huck falar do seu produto e tocar a música Beyoncè enquanto ele fala, do que pedir pra ela para usar a música dela.
A Coca-Cola tem uma rádio chamada Coca-Cola FM que veicula só Hits, logo associando sua imagem com TODAS as músicas que eles quiserem. Pelo menos naquele veículo.

Tiago Correa - Papo de Job

Mais Tiago…

Papo: Um processo por uso de direito autoral musical indevidamente, é caro?
Tiago: Depende. Quanto dinheiro você tem? Se você for a Coca-Cola será caro, mas se for o Zé que vende coco, ele não terá dinheiro nem para pagar um advogado. Um juiz sensato veria o quanto ele poderia pagar, se os bens que ele tiver forem casa e carro (moradia e meio de sobrevivência) você não poderia tirar dele isso, seria feito um acordo e ele pagaria em juízo o que fosse decidido pela lei. Por isso, é sempre bom conversar antes.

Papo: É muito comum por todo o Brasil, em época de campanha política, candidatos usarem músicas famosas, para fazer seus jingles, sem pagar pelos direitos de uso. Eles estão além da lei, por conta da campanha ou o que eles fazem é mesmo uma ilegalidade?
Tiago: Totalmente ilegal. Mas em defesa deles: nossos políticos não sabem o que fazem.

Papo: Ao ver algo assim, ilegal, ferindo direitos autorais, o certo é denunciar, correto? Mas como denunciar?
Tiago: Acredito que entrando em contato com as editoras e gravadoras responsáveis pelos fonogramas. Mas acho isso muito complexo.

Papo: Você tem trabalhos musicais fantásticos, premiados internacionalmente e reconhecido por grandes artistas mundiais, pela valorização, engrandecimento e respeito a estes trabalhos. Qual sua maior dica sobre respeitar o trabalho musical?
Tiago: Dê os devidos créditos a quem fez. Acho que esse é o mais importante. O restante é negociável.

Que Papo ótimo né?! Você pode buscar mais informações sobre esse tema no ECAD. Agora curte um pouquinho de Tiago Correa!

Você pode gostar...