Você conhece o trabalho dele, agora descubra Felipe Gall

Felipe Gall - Diretor de Criação da DM9DDB
Felipe Gall - Diretor de Criação da DM9DDB

Você já conhece os comerciais bacanas dele para a Vivo, Perdigão, McDonald’s, Topper e outros grandes anunciantes.
Nesse Papo, eu tive a honra de conversar com um dos publicitários de maior sucesso no Brasil. Um cara que nasceu aqui em Campo Grande, que viveu a nossa realidade profissional, que porém alçou voo e hoje é diretor de criação da DM9DDB e premiado mundialmente.
Felipe Gall, um dos grandes filhos de MS, que com simplicidade, humildade e muita criatividade constrói sua história profissional de muito sucesso e orgulha a todos que o conhecem.
E sabe o que é mais legal?! Felipe Gall viveu a vida acadêmica e profissional aqui, como todos nós, e pode falar com conhecimento de causa.
E se você ainda não o conhece, já conhece os trabalhos que ele assina.
Acompanhe o Papo inspirador de hoje.

Descubra Felipe Gall

Papo: Você é um profissional muito citado nas universidades de MS como um exemplo de sucesso e uma referência para as novas gerações. Como se sente diante disso?
Felipe: Super orgulhoso. Primeiro porque eu amo a cidade, nasci em Campo Grande e minha família toda está aí. Minha história está ai. Segundo, falando de carreira, eu comecei a minha vida profissional em Campo Grande, numa agência que nem existe mais, mas que até hoje tenho saudades: a ZDOIS. Lá aprendi muita coisa. E hoje, depois de 25 anos de trampo, sei que a gente era bom pra caramba. Mandaríamos bem em qualquer lugar, em qualquer mercado. Era uma agência alegre, inovadora, de gente que adorava propaganda. Eu, Vespa, Maurício Zito, Criolo. Era uma turma muito legal. Pena que me falte tempo, mas gostaria de participar mais da propaganda feita aí, dar mais palestras, participar mais de juris, ajudar a formar gente.
(Aqui na DM9 a gente tem um projeto formador de jovens chamado NONO SEMESTRE, que e incrível!)

Papo: Quando se fala em cenário de propaganda de MS, você vivenciou e sentiu o mesmo que as gerações das últimas duas décadas no Estado. Onde as coisas mudam entre reclamar e fazer acontecer?
Felipe: Hoje, não importa se você está em SP, em CG ou em Nova Iorque, nós nunca tivemos tantas chances de usar a criatividade. As novas mídias, as novas pessoas, o novo mundo, está nos dando oportunidades incríveis. Tem gente ganhando Festival de Cannes com uma hashtag. Então, se existe um momento para parar de reclamar e fazer, o momento é esse. Mas claro, reclamar para o ser humano é quase respirar. É inevitável. O segredo é reclamar, fazendo. Ou fazer, reclamando. Não pode parar. Ainda mais agora.

Papo: Quais as agências que fazem parte da história de Felipe Gall?
Felipe: Foram muitas. Primeiro a ZDOIS. Depois, aqui em São Paulo, eu trabalhei na Fischer, na Loducca, na Lew Lara, na Young e agora na DM9. Todas foram importantes. Cada uma no seu momento. Cada uma do seu jeito. Minha última passagem na Young, entre 2008 e 2011, já foi como Diretor de Criação. E agora, na DM9, também sou diretor de criação.


Papo: Quais os prêmios mais representativos pra você, dentre os que você já conquistou?

PeléFelipe: 
Acho que o que mais me marcou foi o Leão com o filme do Pelé para a Vivo. Foi um feito. Um dos primeiros conteúdos criados para a internet no Brasil. E por ter o Pelé envolvido, me tocou também. Tempos atrás estive com o Pelé para outra produção e ele me disse “diretor… aquele filme foi muito importante… porque tinha muito gente… essa garotada… que não tinha me visto jogar”. Pô, eu fiz alguma coisa importante para o Pelé? Tá de sacanagem, né? Imagina o cara te dizer isso. Me segurei para não chorar. Ganhei mais uns 5 ou 6 Leões, El Ojo, Anuário, Wave, enfim, adoro todos eles, mas esse filme do Pelé tem um lugarzinho especial na galeria.

Papo: Poucos sabem, mas São Paulo o desafiou por duas vezes. Como foi tentar uma vez, recuar e depois voltar e finalmente conquistar um espaço de grande destaque no cenário publicitário?

Felipe e Caro Gall

Reincidentes – Felipe e Caro Gall casando de novo

Felipe: Não foi fácil sair de Campo Grande. Família, amigos de infância que adoro, minha casa, a Chatanooga (boate já não existente), hahahaha. Na primeira experiência, por mais que tudo tenha dado certo profissionalmente, não consegui morar em São Paulo. Vim para fazer um estágio de um mês e me contrataram. Não estava pronto para viver aqui, com a pressão da propaganda, numa cidade grande e longe de tudo que eu amava. Na segunda já foi mais fácil. Trouxe a pessoa que deixa qualquer coisa na minha vida mais fácil. Casei com a Caro Gall às oito da noite e pegamos o avião para São Paulo às 3 da manhã. Isso, faz 16 anos.

Campanha PerdigãoPapo: Como é a tarefa de ser hoje diretor de criação de uma das maiores agências do Brasil, a DM9DDB?
Felipe: Primeira coisa, é um puta honra. Quando eu penso nos caras que já ocuparam este cargo, me belisco. Acho que é um grande momento da minha carreira. O sarrafo é alto, então o dia-a-dia é puxado. Tem stress, perco cabelos, jantares, almoços, mas no final vale a pena. Temos feito coisas muito legais. Tô muito orgulhoso do trabalho da minha equipe.

Papo: Uma pergunta para ser respondida pensando em todos aqueles que estão estudando e sonhando em serem publicitários de sucesso: em que momento de sua vida profissional a foi moleza?
Felipe: Essa é fácil: nunca. E se estiver moleza, é porque alguma coisa tá errada.
Nós somos inquietos. E a inquietude e a moleza não frequentam a mesma turma.

Papo: Quais as principais características dos profissionais de sucesso que você conheceu ou conviveu?
Felipe: Persistentes. Inovadores. Inspiradores. E principalmente, os caras que vão em frente, gostam bastante da profissão.

Papo: Quando falarem de Felipe Gall de novo nas universidades, como você gostaria que fosse a descrição?
Felipe: Difícil essa. Sei lá. Um cara que gosta do que faz. Um cara que já esteve ali, onde eles estão. Um cara que acreditou. Um cara que trabalha bastante. Um cara que nunca deixou de fazer, de tentar.


Conversa ótima pra conhecer o Felipe, mas você vai conhecer bem mais ele vendo alguns de seus filmes e a galeria de trabalhos, logo abaixo.
Imperdíveis. 


McDonald’s – “Batata Turbinada”.


Perdigão
– “Salxixa”


Vivo – “Usar Bem Pega Bem”
(essa acabou de sair do forno)


Perdigão
“Bem-vindo de volta” (acabou de sair do forno também)

Vivo – “O Último Gol do Pelé”


Vivo – “O Sonho do Anderson Silva”


Vivo – “Vivo Fixo – Filho”


Vivo – “Balão”


McDonald’s – “CupSong”


McDonald’s – “Grand Piano”


Topper – “Irmãos”

 

[huge_it_gallery id=”20″]

Você pode gostar...